Culinária árabe: além de saborosa, é versátil e nutritiva

Tahine é peça chave na culinária árabe e vai bem tanto em receitas doces como salgadas

 

A culinária árabe é considerada a mais antiga do mundo. Os hábitos alimentares dos povos árabes inclui trigo, cevada, tâmaras, carne, arroz, derivados do leite, legumes e cereais. Mas, existem alguns alimentos que são verdadeiras peças chaves dentro dessa culinária. O tahine é uma delas.

De antemão vale lembrar que o tahine é uma pasta de gergelim muito versátil, sendo usada tanto em receitas doces como salgadas. Por vezes é misturado com alho, água e sumo de limão para temperar alguns pratos. Além disso, também pode dar um toque especial em receitas de sobremesas.

Na rede de restaurantes árabes, Casa da Esfiha, por exemplo, o tahine é ingrediente essencial de alguns cardápios. Entre eles podemos destacar o homus (pasta de grão de bico), o babaghannuj (pasta de beringela) e halawi (sobremesa).

Benefícios

Essa pasta comum da culinária árabe, além de gostosa, traz muitos benefícios para a saúde, sobretudo se consumida sempre em pequenas quantidades. O tahine é rico em ácidos graxos ômega-3 e ômega-6. Ou seja, óleos essenciais que fornecem gorduras boas para o corpo. Esses ácidos graxos aceleram a formação de tecidos nervosos no corpo. Isso ajuda a melhorar a saúde do cérebro e contribui para prevenir doenças.

Do mesmo modo, o tahine também é fonte de cálcio, proteínas, vitamina B1, B6, ferro, magnésio, fósforo, manganês e cobre. Em suma, podemos dizer que também contribui para a saúde dos ossos e dentes. Também protege a saúde do coração, ajuda na cicatrização da pele, entre outros benefícios.

Nos restaurantes Casa da Esfiha, situados em Itu, Indaiatuba, Piracicaba e Montes Claros você pode encontra o tahine no cardápio e também no empório. Assim, você pode comprar a pasta para consumir como você gosta e usar sua criatividade para criar novas receitas.