Restaurante em Piracicaba: deliciosos ninhos árabes

Além do tradicional “ninho de nozes”, a Casa da Esfiha, restaurante em Piracicaba, também tem ninhos de amêndoas, damasco e pistache 

As sobremesas árabes têm algumas qualidades muito únicas. Têm um cheiro muito agradável, mas também marcante. São muito doces, mas há sempre um ingrediente para “quebrar” o açúcar, deixando o sabor mais suave e agradável. Os ninhos de nozes, amêndoas, damascos ou pistaches servidos na Casa da Esfiha, restaurante em Piracicaba, destacam muito bem todas essas particularidades.

As sobremesas árabes de maneira geral são sempre muito doces, mas também têm alguma acidez, o que equilibra o sabor. Isso porque ingredientes como frutas secas, mel, nozes e amêndoas são sempre muito presentes.

É justamente o caso do ninho de damascos, servidos na Casa da Esfiha, por exemplo. O doce marcante e forte do mel se mistura ao leve azedo do damasco.  com o crocante do macarrão kneefe (tipo cabelo de anjo) passado na manteiga. Como resultado temos uma explosão de sabor vibrante e único.

A base do ninho, que também é conhecido como burma, é a mesma. O ingrediente escolhido como recheio, entre as quatro opções servidas pelo restaurante em Piracicaba, Casa da Esfiha, é o que vai mudar o sabor.

Além do sabor, há ainda outros bons motivos para comer sem culpa essa deliciosa sobremesa árabe. As frutas oleaginosas, aquelas do time das nozes, têm uma combinação de nutrientes que ajudam a evitar combater muitas doenças. Acima de tudo, doenças do coração.

Água perfumadas

Os doces são sempre muito perfumados. Sobretudo porque os temperos, como canela e anis, e as águas perfumadas são ingredientes quase obrigatórios nas receitas.

As águas com sabores de rosas e de flor de laranjeira, por exemplo, são muito comuns na culinária árabe. Além disso, elas também são usadas em rituais religiosos e também na indústria de produtos de beleza.

Curiosidades

Os doces têm um sentido muito especial para a vida dos árabes. Quando um bebê nasce, alguns povos passam calda de açúcar em sua boca. Para esclarecer melhor, acredita-se, que, dessa forma o futuro dessa criança, será cheio de palavras doces. Por outro lado, quando alguém morre existe uma tradição de servir pudins para se despedirem do falecido.